segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Para os dias de tempestade, sem telefone e sem ideias

Q
uando estiverem de mãos livres, sem imaginação, sem saber para onde ir, sem saber o que vão fazer a seguir, e com disposição para ler oitocentas mil linhas, sugiro a leitura deste post, e dos respectivos comentários.

Mas não desperdicem o vosso tempo. Se estiver a dar "O Preço Certo", ficarão a ganhar mais se assistirem ao programa do que se lerem este post.

O jovem em questão eliminou, ao princípio, o meu comentário. Depois resolveu publicá-lo de novo, mas lixou-me os parágrafos... Enfim, já nada é sagrado. Mas louvo-lhe o desportivismo de ter publicado (embora depois de longas cogitações) o meu comentário.

O link é este:
http://osegundokpassou.blogspot.com/2006/11/contraste.html

8 comentários:

artemisa disse...

Por acaso já lá fui e já lá deixei um comentário em prol da liberdade de expressão e de um verdadeiro espírito democrático. Não sabia é que tinha sido alterada a integridade do conmentário de juanito, o que é lamentável.Tal significa que, sem que eu o tivesse premeditado, a última frase do comentário qu ali deixei, adquire uma certa qualidade irónica.

Não preciso de cauções culturais disse...

Não tenho paciência para putos-imberbes-que-acham-que-a-sabem-toda-e-que-ainda-não-aprenderam-que-a-única-merda-de-interesse-é-aquilo-que-nos-surge-intangível.

E a maniazinha de ir buscar o Eça como avatar das bolsadas produzidas já não tem sequer ponta por onde se lhe pegar. Alguém tem de lhe ensinar a utilizar citações menos evidentes.

Que falta de ideias, para tanta verborreia...

Luis Spencer Freitas disse...

Têm toda a razão... Aliás, vou voltar a apagar os vossos comments, tal como a vossa presença do meu blog. Este puto pode ser imberbe, mas conhece perfeitamente o seu direito à escolha de não ser chateado. Aliás, recordo-me de algo a que alguém deste blog chamou "tolerância" quando pedi para ver um texto meu para a faculdade. Vejo agora que palavras não o deixam de ser.

Não voltem a deixar nada lá, pois ignorarei os comments de seja quem for que venha desta morada. E não precisam de colocar este comment no vosso blog, apenas queria deixar a mensagem clara.

turista disse...

Há muito para fazer em dias de tempestade sem telefone, o tempo custa mais passar quando há insónia...

Juanito disse...

Sejam amigos, sejam amigos... No fundo não queremos todos a paz mundial? (inserir aqui citação de escritor famoso)

desabafo disse...

Devo deixar aqui também um contributo em prol da verdade. Eu li o comment do juanito publicado da primeira vez e o publicado da segunda vez. Estava diferente, mas diferente na formatação dos parágrafos, como o próprio juanito diz. E sei que ao tirar e voltar a colocar o texto no blog, quando não se tem o original, pode desformatar. Para mim isso não é alterar a integridade do comentário. O texto não foi alterado, ficou desformatado. Penso que deve haver algum cuidado com a as expressões utilizadas, sobretudo quando podem parecer denegrir a integridade da pessoa em causa.
É um desabafo, nada mais.

Juanito disse...

Ó meus amigos muito nervosos e emocionais e assim: proponho que façamos uma grande reconciliação e uma grande festa e uma grande cerimónia de oferendas de paz e tranquilidade. Proponho que façamos bolachas. Bolachas caseiras, feitas no forno, entendem? E que essa cerimónia seja filmada e que a ponhamos no YouTube para o mundo ver como as diferenças e as discordâncias e a fome de bolachas podem ser erradicadas do mundo. Sutejane, vai já estudar receitas de bolachas caseiras, e depois dá-me um toque.

sweetjane disse...

Dear All,

os meus biscoitos (também) são, lamentavelmente, uma bela merda. Proponho em alternativa, uma bela conversa, à volta de uma bela mesa, num belo bar com belas cervejolas, minuins e tramossos (também pode haver umas bifanas e cachorros quentes). Uma conversa de paz e reconciliação.