terça-feira, 21 de novembro de 2006

Concorrência desleal (parte I)


Digo às vezes, à laia de provocação, às minhas amigas (as que têm a minha idade), que as miúdas de 19 anos nos fazem uma concorrência desleal, com aqueles atrevidos traseiros de mármore, aqueles seios firmes e aquela frescura inacreditável. Uma delas (das amigas, claro) diz-me que não. Que essas miúdas não nos fazem concorrência e que os homens da nossa idade não as preferem, quando comparadas com as mulheres da nossa idade. Dependerá dos homens da nossa idade e dependerá das raparigas de 19 anos. Não sei se depende de nós. Cá por mim sinto que somos um pouco como aquele grupo de amigas, no filme "When Harry met Sally", que revê, durante um dos seus almoços semanais, a lista dos homens disponíveis, desesperadas que estão por se sentirem a envelhecer sozinhas. Não que seja esse o meu caso. Mas o que está por detrás desse medo, não é só o pavor da solidão. É a dolorosa percepção de que não podemos voltar atrás. Os rabos descaem, as mamas também. Até pode ser que essas miúdas não me façam concorrência, mas a verdade é que, agora, por mais que me esforce, eu é que não lhes ofereço uma competição digna. Pode não ser a mesma coisa, mas o efeito é o mesmo.

4 comentários:

artemisa disse...

Outra vez com esta merda? Eu pergunto, afinal, e agora com maior seriedade, qual é o teu alvo, os teenagers?

sweetjane disse...

Não percebo porque é que entendes estas reflexões, como estando necessariamente orientadas para um alvo. São só dilemas de pessoas que crescem e envelhecem, não? Nem tens que te identificar com aquilo que escrevo....

artemisa disse...

Touchy, are we? Eu cá penso como o Miguel Esteves Cardoso, quando disse (bons tempos, bons tempos) que o factor SPAC (salto para a cueca) está sempre em acção.

JugGerNAuT disse...

Raparigas de 19 anos são um espectáculo. Caladas. Um espectáculo.